Jornal Agora | Cocô x crueldade
 
fechar
fechar

Seu voto foi registrado. Agradecemos sua participação.

Seu voto já foi computado nas últimas 24 horas.

Resultado parcial

Atenção: o resultado desta enquete não tem valor de amostragem científica e se refere apenas a um grupo de
                 leitores do Agora Online.
Redes sociais
voltar

Carta do Leitor

- 23-03-2012 - 16h54min
fechar
enviar Máximo 500 caracteres
* Ao enviar qualquer comentário, o usuário declara-se ciente e aceita integralmente o termo de uso
fechar

Comunicar erro

Se você encontrou alguma informação que esteja errada, utilize este espaço para reportar erros.

enviar Máximo 500 caracteres
fechar

Envie esta notícia para um amigo

» Adicionar mais um destinatário

enviar Máximo 500 caracteres

Cocô x crueldade

fechar

Galeria de vídeo

fechar

Galeria de áudios

fechar
Foto: Ju Blasina

Nunca o Poder Público interessou-se em fazer com que se cumprisse a Lei que proíbe o abandono de animais em via pública

Foto: Ju Blasina

Cocô x crueldade

Nunca o Poder Público interessou-se em fazer com que se cumprisse a Lei que proíbe o abandono de animais em via pública

Há muito vem sendo sugerido pelas ONGs de Proteção Animal do Rio Grande e até mesmo por parte da comunidade que é sensível à causa, que seja autuado e multado todo aquele que cometer crimes de abandono e maus-tratos aos animais. Essas multas deveriam ser revertidas em cirurgias de esterilização de cachorrinhas de rua e/ou comunitárias, para que, aos poucos, fosse diminuindo o número de cães errantes em nosso município. Nunca foi sequer cogitada ou aceita esta ideia pelo Poder Público. Embora diariamente sejamos testemunhas de abandono e maus-tratos, não temos um órgão efetivo que realmente se interesse em autuar e punir estes criminosos com multas ou trabalho comunitário, no qual possamos denunciar tais delitos.

Projetos de esterilização para os animais de rua foram jogados pra baixo do tapete pelos nossos governantes municipais, mesmo sendo preconizado pela Organização Mundial da Saúde como método eficaz para o controle de natalidade dos cães. Mas, com certeza, cocozinho de cachorro vai ser regulamentado por Lei Municipal. Existe Lei que proíbe o abandono de animais em via pública, mas nunca o Poder Público interessou-se em fazer com que se cumprisse essa Lei: fiscalizar através de denúncias e punir.

Será que rende mais aos cofres públicos multar cocô ao invés de crueldade? Acredito que não. Cenas de abandono e maus-tratos acontecem com muito mais frequência que cocô de cachorro, mas infelizmente o egoísmo do ser humano o faz olhar somente para seu sapato sujo, desprezando e ignorando totalmente o sofrimento de nossos irmãos de quatro patas.

Mas, como estamos em ano eleitoral, teremos a oportunidade de destituir do poder àqueles que ignoram as necessidades básicas de nossos animais, bem como leis para sua proteção e projetos para o controle da procriação, principalmente no que tange aos animais de rua. Nas urnas, poderemos mudar esta realidade e aí sim talvez tenhamos um governo para todos, inclusive para os que lutam pela causa animal, que até hoje sempre foram tratados com desdém pelos seus representantes políticos. Rio Grande é hilário: cocô é motivo de punição, crueldade não.

Mariângela Reif


 


Notícias relacionadas

21-03-2012 - 18h57min
Cães

 

16-09-2011 - 19h46min
Esterilização

 

15-09-2011 - 17h43min
Convênio garantirá esterilização de animais em Rio Grande

 

14-09-2011 - 19h21min
Brasil terá centro para validação de pesquisas que não usam animais na fase de teste

 
comente Comentários(26)

Participe


Sua opinião Agora

Você acha que os mandatos dos vereadores Batatinha e João da Barra devem ser cassados?

resultado votar
Veja mais

Plantão



Comparte Jornal Agora - Todos os direitos reservados