fechar
fechar

Seu voto foi registrado. Agradecemos sua participação.

Seu voto já foi computado nas últimas 24 horas.

Resultado parcial

Atenção: o resultado desta enquete não tem valor de amostragem científica e se refere apenas a um grupo de
                 leitores do Agora Online.
Redes sociais
voltar

Greve

- 20-09-2012 - 17h19min
fechar
enviar Máximo 500 caracteres
* Ao enviar qualquer comentário, o usuário declara-se ciente e aceita integralmente o termo de uso
fechar

Comunicar erro

Se você encontrou alguma informação que esteja errada, utilize este espaço para reportar erros.

enviar Máximo 500 caracteres
fechar

Envie esta notícia para um amigo

» Adicionar mais um destinatário

enviar Máximo 500 caracteres

Funcionários dos Correios entram em greve

fechar

Galeria de vídeo

fechar

Galeria de áudios

Os trabalhadores dos Correios do Rio Grande aderiram à greve nacional e estão parados, por tempo indeterminado, desde ontem, 19. Eles acompanham mais 18 estados e o Distrito Federal. O comando de negociação da Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios, Telégrafos e Similares, Fentect, reivindica 43,7% de reajuste, R$ 200 de aumento linear e piso salarial de R$ 2,5 mil. Segundo o líder sindical rio-grandino, Anderson de Oliveira Gonçalves, praticamente 30% dos funcionários do Município estão parados, o que significa aproximadamente 20 funcionários. No Rio Grande do Sul, 845 empregados aderiram à greve, ou seja, 10% do efetivo da empresa no Estado.

Aprovaram a paralisação os empregados dos Correios em Alagoas, no Amazonas, Ceará, Distrito Federal, em Goiás, Mato Grosso, na Paraíba, no Paraná, em Pernambuco, no Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e no Tocantins. Em Minas Gerais e no Pará, a categoria já havia iniciado a greve na semana passada.

Conforme o sindicalista, não é somente o reajuste que está mobilizando a classe. "Um dos maiores entraves na negociação é que a empresa quer mexer na cláusula 11 do nosso acordo, que é exatamente o convênio médico. E até agora não nos disse em que item vai mexes, o que vai modificar. Não podemos de forma alguma permitir que o convênio médico seja derrubado", ressalta. Outra reivindicação é a contratação imediata de funcionários.

O salário inicial de carteiros, atendentes comerciais e operadores de triagem e transbordo é R$ 942. Dos 35 sindicatos da categoria, 10 ainda farão assembleias até o dia 25. Uma das maiores empresas empregadoras no regime de, Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), os Correios têm mais de 115 mil funcionários.

Segundo a ECT, há um plano com medidas como a realocação de empregados das áreas administrativas, a contratação de trabalhadores temporários e a realização de horas extras e mutirões para triagem e entrega de cartas e encomendas nos fins de semana. Em nota, a assessoria da empresa diz que apenas os itens econômicos da pauta de reivindicações dos sindicatos, se atendidos, gerarão acréscimo até R$ 25 bilhões na folha, cuja previsão de receita é R$ 15 bilhões para 2012.

O Tribunal Superior do Trabalho, TST, decidiu levar a julgamento o dissídio dos Correios, já que não houve acordo entre a empresa e o sindicato na audiência de conciliação realizada ontem, 19, em Brasília. A ministra Kátia Arruda será a relatora e definirá a data do julgamento. Na audiência, o TST concedeu liminar determinando que os sindicatos garantam efetivo mínimo de 40% por unidade, sob pena de multa diária de R$ 50 mil.

Anete Poll

 

 

 


comente Comentários(2)

Participe


Sua opinião Agora

Em relação ao 2º turno das ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS 2014, como você se define?

resultado votar
Veja mais

Plantão



Comparte Jornal Agora - Todos os direitos reservados